Para o dia 18 de Fevereiro prevê-se a ocorrência entre 97 (modelo da taxa diária de mortalidade) e 102 óbitos (modelo da linha de tendência polinomial). A aproximação dos valores previstos em ambos os modelos mostram uma estabilização da eficácia do tratamento hospitalar. 

Após uma acentuada descida da taxa diária de mortalidade dos internados existe agora uma tendência a estabilizar em valores próximos dos verificados em Novembro e Dezembro. A taxa diária no dia 17 de Fevereiro foi de 2,54%. A taxa média (móvel de 7 dias) situa-se agora nos 2,6%.

Será provável que a mortalidade total venha agora a descer sobretudo em função da redução dos internados, e em valores abaixo da centena de óbitos por dia.

Caso a taxa de mortalidade estivesse agora nos níveis de Dezembro (2,5%), seria previsível, face ao número de internados no dia anterior, a ocorrência de 95 óbitos. Num cenário de taxa igual à observada em Outubro (1,5%) estima-se que a mortalidade fosse de 57 óbitos. 

Nota metodológica: 

Para a previsão dos óbitos por covid para o dia N, utilizam-se dois modelos expeditos: 

  1. taxa diária de mortalidade dos internamentos, calculada em função dos óbitos no dia N em relação aos internados do dia N-1. Apresenta-se, igualmente, o gráfico da evolução desta taxa de mortalidade com base na média de 7 dias das taxas diárias.
  2. linha de tendência polinomial (grau 2) entre o número de internamentos covid e os óbitos por covid, estimando-se a mortalidade prevista para o dia N através da equação de regressão, tendo em consideração o número de internados no dia N.

Previsões da responsabilidade de Pedro Almeida Vieira.

Apoie o Farol XXI