Para o dia 19 de Fevereiro prevê-se a ocorrência entre 63 (modelo da taxa diária de mortalidade) e 91 óbitos (modelo da linha de tendência polinomial). Estes valores estão muito dependentes de mais um registo algo anómalo dos óbitos contabilizados no dia 18 de Fevereiro (67), o que implicou uma taxa diária de mortalidade dos internados-covid que aparenta ser demasiado boa (1,75%). 

Após uma acentuada descida da taxa diária de mortalidade dos internados existe agora uma tendência a estabilizar em valores próximos dos verificados em Novembro e Dezembro. A taxa média (móvel de 7 dias) situa-se agora nos 2,4%.

Será provável que a mortalidade total venha agora a descer sobretudo em função da redução dos internados, e em valores abaixo da centena de óbitos por dia.

Caso a taxa de mortalidade estivesse agora nos níveis de Dezembro (2,5%), seria previsível, face ao número de internados no dia anterior, a ocorrência de 90 óbitos. Num cenário de taxa igual à observada em Outubro (1,5%) estima-se que a mortalidade fosse de 54 óbitos.

Nota metodológica: 

Para a previsão dos óbitos por covid para o dia N, utilizam-se dois modelos expeditos: 

  1. taxa diária de mortalidade dos internamentos, calculada em função dos óbitos no dia N em relação aos internados do dia N-1. Apresenta-se, igualmente, o gráfico da evolução desta taxa de mortalidade com base na média de 7 dias das taxas diárias.
  2. linha de tendência polinomial (grau 2) entre o número de internamentos covid e os óbitos por covid, estimando-se a mortalidade prevista para o dia N através da equação de regressão, tendo em consideração o número de internados no dia N.

Previsões da responsabilidade de Pedro Almeida Vieira.

Apoie o Farol XXI